Dia das Crianças e cuidados em condomínios: como garantir a segurança dos pequenos

Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis dá dicas de como os pais podem manter seus filhos seguros em áreas comuns

São quase 200 dias de isolamento social e, pela primeira vez, muitos pais e filhos passarão o Dia das Crianças isolados em suas casas. Uma das opções para quem está cumprindo a quarentena é levar os pequenos para se distraírem em áreas comuns de condomínios, como salão de jogos, piscinas e plays. De acordo com a Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis (ABADI), mesmo que a reabertura desses espaços esteja sendo realizada gradualmente e que haja uma série de recomendações para evitar a disseminação do vírus, ainda é importante seguir alguns conselhos.

Para Marcelo Borges, Diretor de Condomínio e Locação da ABADI, a informação ainda é a melhor arma contra a disseminação do vírus: “O Dia das Crianças sempre desperta a vontade de brincar, de estar com os amiguinhos, de usar os brinquedos das áreas comuns dos condomínios. Então, o síndico deve manter as medidas restritivas de utilização dessas áreas para conter o avanço e contaminação da Covid-19. O ideal é que ele se antecipe na orientação aos pais para que, apesar da data comemorativa, essas áreas não tenham aglomeração”, diz. Ele ainda ressalta que é necessário alertar aos pais que crianças menores de 10 anos não andem sozinhas nos elevadores e em áreas dos condomínios, a fim de evitar danos físicos e morais aos pequenos. “A parceria da administração do condomínio com os pais é muito importante”, analisa.

A ABADI ainda reforça algumas medidas que devem ser adotadas, além das sugeridas pelos órgãos de saúde, como utilização de máscaras, álcool gel e respeito ao distanciamento, entre elas: a utilização do elevador deve ser individual ou apenas por membros da mesma família; recomendação de proibição do uso de personal trainer na academia e dependências de uso comum; atividades com uso individual por famílias devem ser pré-agendadas de forma a evitar filas e aglomerações (devem ser feitos por aplicativos ou meios de comunicação remoto, como telefone, e-mail, WhatsApp). Em áreas de uso infantil como parques e brinquedoteca, o ambiente deve ser higienizado (pelo condomínio ou usuário) ao trocar a família de uso; e as piscinas devem funcionar com agendamentos ou escalas entre os moradores. Durante todas as fases, qualquer atividade e uso das áreas comuns no condomínio deverão ser restritos aos moradores, sendo proibido trazer convidados, sem exceções.

voltar para lista