Observatório Nacional disponibiliza acervo raro com mais de 900 imagens de placas fotográficas em vidro registradas em 100 anos de atividades

Mais de 100 anos de registros fotográficos em placas de vidro foram digitalizadas e estão sendo disponibilizadas pelo Observatório Nacional (ON) através do link www.on.br/placas. O projeto tem como finalidade preservar a memória da instituição, que registrou as imagens entre 1885 e 1986, além de disponibilizar o trabalho para a sociedade, oferecendo um material classificado, higienizado e digitalizado, preservando, assim, as informações expressas na sua essência. Ao todo, são 948 imagens que mostram eclipses totais e parciais do Sol e da Lua, planetas, cometas, asteroides, instrumentos científicos, sismogramas, magnetogramas, edificações e o cotidiano das expedições científicas, registrado pelo então diretor do ON, Henrique Morize (1860 – 1930).

De acordo com o astrônomo Carlos Veiga, um dos organizadores do acervo, apesar de restrito no âmbito das atividades propostas à preservação e difusão de uma parte do acervo da Biblioteca do Observatório Nacional, o projeto pretende ampliar o raio de interação com outros centros de pesquisas que hoje se dedicam à manutenção da memória científica nacional. “Internamente, o projeto vem fortalecer o plano de conservação e restauração do acervo, passando a motivar e envolver mais pesquisadores interessados na preservação da memória científica do Observatório Nacional”, analisa Veiga.

O projeto foi desenvolvido por uma equipe composta de um pesquisador da Coordenação de Astronomia e Astrofísica, duas bibliotecárias do Núcleo de Informação e Documentação, um bolsista do Centro de Integração Empresa-Escola e um colaborador para desenvolver aplicativos web, dedicados à contextualização histórica da produção do conhecimento científico na instituição. Trata-se de uma equipe multidisciplinar, reunida em torno do interesse na preservação da memória científica do Observatório Nacional.

voltar para lista